5 dicas para incluir a diversidade no processo de recrutamento das organizações

6 minutos para ler

Uma empresa que quer crescer e se destacar no mercado precisa, entre outras coisas, de inovação e de uma cultura que engaje e retenha profissionais. Por isso, a diversidade nas organizações é uma tendência que vem ganhando destaque.

Quando a empresa aposta em diversidade, consegue agregar diferentes valores positivos à sua marca. Além disso, a gestão passa a contar com equipes que têm uma ampla bagagem cultural e social, resultando em mais criatividade e integração.

Trazer a diversidade para uma organização tradicional não é um processo que acontece da noite para o dia. Em vez disso, exige planejamento e estratégia. Tudo começa no processo de recrutamento e seleção, afinal, ele precisa ser transformado para mostrar as intenções da corporação e atrair públicos diversos.

Se sua organização já percebeu a necessidade de diversificar o perfil dos colaboradores, trouxemos 5 dicas para incluir esse ideal na cultura interna e na seleção de talentos. Continue a leitura e confira!

1. Repensar os anúncios das vagas

Você já pensou que apenas a maneira de escrever a descrição de uma vaga pode atrair um grupo de pessoas e repelir outro? Muitas vezes, estamos tão acostumados com algumas práticas que nem mesmo percebemos que elas estão sendo excludentes.

Por exemplo, é possível começar evitando exigências de gênero e local de moradia específico. Adotar um texto com neutralidade de gênero também é importante, além de usar uma linguagem leve, que não passe uma imagem agressiva da empresa.

Exigir o envio de fotos é outro problema que evita que a diversidade chegue à sua organização. Essa prática mostra que a empresa está preocupada com aparência e não com competência e pode acabar fomentando pré-julgamentos por parte dos recrutadores.

Até mesmo uma linguagem jovial demais pode afastar profissionais mais experientes, quando esses também podem contribuir muito para uma organização. Para instituir uma boa política de diversidade, é interessante escrever, nas vagas, que a empresa está interessada na candidatura dos mais diversos públicos.

2. Mostrar que a empresa se importa com a diversidade

Indo além de evitar as práticas equivocadas que citamos acima, o RH da sua empresa pode adotar outras atitudes que são características de quem busca a diversidade nas organizações.

Uma dessas iniciativas é deixar claro, nos processos seletivos e de divulgação de vagas, que a corporação está aberta para todos os perfis de candidatos. Já durante campanhas institucionais, é fundamental mostrar essa preocupação com diversidade por meio de casos reais, em que colaboradores com perfis diversos deem depoimentos de suas vivências na companhia.

Nas entrevistas com candidatos, a pauta diversidade também deve ser abordada. Dessa maneira, a empresa consegue recrutar pessoas que pensam de forma similar sobre inclusão e respeito à individualidade de cada um.

3. Fazer recrutamento às cegas

Uma grande tendência que promove a diversidade nas organizações é a implementação do recrutamento às cegas. Você já ouviu falar sobre essa técnica? Trata-se de solicitar aos candidatos currículos que não tragam dados pessoais, mas apenas as competências técnicas e comportamentais que possam se enquadrar na vaga.

Assim, inicialmente, os recrutadores não sabem nada sobre idade, local de moradia, sexo, cor da pele, estado civil, número de filhos e outras informações pessoais. Esses dados aparecem apenas nas fases finais do processo de seleção.

Esse tipo de estratégia é muito interessante, já que valoriza o que realmente é prioritário para uma vaga — o talento do profissional. Dessa forma, a própria equipe de recrutamento não é influenciada por opiniões pessoais ou mesmo escolhas inconscientes por algum “padrão”.

O recrutamento às cegas promove maior humanização do processo seletivo, quebrando possíveis barreiras que afastariam certos grupos da sociedade. Os profissionais valorizam essa prática, e isso fortalece o employer branding. Essa humanização precisa, é claro, continuar também nos momentos de entrevista e onboarding, em um contato mais amistoso e próximo com os candidatos.

4. Estabelecer uma cultura de diversidade

De nada vale ter um processo de recrutamento e seleção que valorize a diversidade se, dentro da rotina empresarial, os profissionais não se sentirem devidamente integrados e acolhidos apesar de todas as suas opções e características pessoais.

Por isso, se torna crucial que o respeito à diversidade seja um valor central da empresa, difundido entre todos os colaboradores. O exemplo precisa começar ainda no executivo e se espalhar por todas as hierarquias.

Campanhas de conscientização, recrutamento por fit cultural e políticas rígidas contra discriminação são alguns caminhos para conseguir colocar em prática esse ideal tão importante.

5. Criar programas de inclusão

Criar programas específicos com foco em diversidade é o que muitas organizações têm feito para alcançar alguns grupos de profissionais. Esses programas oferecem mais flexibilidade em relação às exigências de ocupação do cargo e, muitas vezes, garantem também treinamento para as pessoas escolhidas.

Eles têm motivação no fato de que algumas vagas dificilmente serão preenchidas por alguns grupos por conta das altas especificidades, considerando que alguns públicos têm menos acesso a certos graus de escolaridade ou cursos de especialização.

Mesmo assim, a empresa pode se beneficiar ao adotar essas políticas de flexibilidade. Primeiramente, porque a contratação pode se basear em soft skills que vão agregar competências ao ambiente corporativo. Em segundo lugar, a contratação de pessoas que estavam à margem da sociedade pode trazer um olhar diferenciado para dentro da corporação e fomentar a criação de soluções que ajudem esses públicos.

Entre as principais vantagens de apostar em diversidade nas organizações, podemos citar:

  • time de talentos mais criativo, com múltiplas perspectivas sociais e culturais;
  • cultura organizacional mais sólida e engajadora, com senso de integração e propósito;
  • fortalecimento da marca empregadora frente aos candidatos que estão no mercado;
  • imagem positiva frente à sociedade, mostrando preocupação em oferecer espaço e oportunidades para públicos diversos;
  • menos rotatividade de talentos, já que o ambiente organizacional é saudável e gera crescimento. Junto a isso, os profissionais se sentem valorizados e satisfeitos com a empresa;
  • aumento da produtividade, com colaboradores motivados e equipes criativas e harmônicas, já que compartilham da mesma cultura.

Esperamos que este conteúdo ajude você e seu RH a perceber a necessidade e o poder de levar a diversidade nas organizações. Para implementar estratégias nesse segmento, é vital contar com o apoio do executivo e ter um plano de ação bem embasado e consciente.

O caminho para o sucesso em iniciativas como as citadas aqui é buscar um RH estratégico. Nesse sentido, separamos um artigo que vai ajudar você a entender o significado desse termo, quais são seus maiores benefícios e como sua organização pode alcançar esse alvo. Boa leitura!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Abrir WhatsApp
Precisa da gente?
Olá! Podemos te ajudar?
Powered by