Guia completo para você alcançar a recolocação profissional

12 minutos para ler

O mercado de trabalho passou a ser um espaço de fluxo acelerado, com muitas mudanças e uma busca constante por crescimento por parte dos profissionais e das empresas. Isso tem levado muitas pessoas a buscarem uma recolocação profissional. Mas como fazer isso de forma correta?

Para começar, é importante entender que se trata de um processo que exige preparação, autoconhecimento e as iniciativas certas. Neste guia, queremos compartilhar com você todas as informações necessárias para ter êxito nessa trajetória rumo a uma nova vaga de emprego.

Quer saber quais são as etapas da recolocação profissional e descobrir as melhores dicas para se reposicionar no mercado? Então, continue a leitura!

Quando a recolocação profissional é necessária?

Existem alguns fatores que podem fazer um profissional buscar a recolocação no mercado de trabalho. Entenda abaixo as características e consequências de cada um deles.

Demissão

O desligamento da empresa por demissão é uma das razões mais comuns para buscar uma nova oportunidade de emprego. Uma demissão pode acontecer por diferentes motivos, como corte nos custos organizacionais, um erro grave do colaborador ou a falta de atualização na área que deixou o profissional para trás.

Seja qual for o problema, demissões costumam ser difíceis para a pessoa, mas, por outro lado, são uma oportunidade de procurar um novo rumo na carreira. Por isso, é preciso deixar o desânimo de lado e aproveitar a chance de se reposicionar.

Busca de novos desafios

O desligamento de um profissional também pode ser voluntário, seja por uma insatisfação particular com a empresa ou pelo desejo de explorar o mercado em sua área de atuação.

Ao contrário do cenário comum de décadas atrás, hoje o desejo por novidade e mudança acaba regendo as ações dos profissionais, impulsionando eles a procurarem novos desafios e fazendo com que muitos abram mão da segurança de permanecerem em uma mesma empresa por anos.

Por outro lado, outros deixam uma corporação justamente por não encontrarem perspectiva de crescimento ou se tornarem insatisfeitos com o salário. Isso gera o ímpeto de buscar alternativas mais interessantes para seguir a carreira.

Desejo de mudar de área

Mais um fator para recolocação profissional é a vontade de mudar completamente de área. Isso pode acontecer com profissionais que já têm algum tempo de experiência e querem encarar uma nova atuação ou buscar o desenvolvimento de um negócio próprio.

Mudar totalmente de profissão é um ato de coragem que deve ser tomado com segurança. Esse processo pode acabar sendo mais longo, mas certamente é recompensador para quem persegue um sonho.

Quanto tempo demora em média?

O tempo que cada profissional vai demorar para se reposicionar é variável conforme suas expectativas, seu know-how e a quantidade de vagas em aberto em sua área de atuação.

Uma pessoa que quer mudar completamente de área certamente vai levar mais tempo para encontrar um novo emprego ideal do que alguém que é qualificado para sua área profissional e quer apenas mudar de empresa.

Segundo estatísticas recentes do IBGE, a grande maioria de desempregados está em busca de um emprego por mais de um mês e menos de um ano.

Ainda segundo a pesquisa, cerca de um quarto dos desempregados no Brasil busca a recolocação profissional há dois anos ou mais. No entanto, esse tipo de quadro acaba sendo agravado pela falta de capacitação de muitos candidatos em conjunto com um cenário econômico pouco favorável para algumas áreas de atuação.

Assim, o necessário para reduzir ao mínimo o tempo de reposicionamento no mercado é ter planejamento sólido e contar com as estratégias certas, como mostraremos mais abaixo no texto.

Quais são as etapas da recolocação profissional?

A recolocação profissional não acontece da noite para o dia e exige que o indivíduo passe por algumas etapas até conseguir alcançar a tão desejada vaga de emprego. Você sabe quais são essas etapas? Veja a seguir.

Análise pessoal

O autoconhecimento é importante para começar uma trajetória de recolocação no mercado. É necessário entender quais são suas insatisfações com sua situação atual, que tipo de atuação faria de você uma pessoa mais realizada profissionalmente e quais são suas habilidades técnicas e competências socioemocionais que podem ajudar nesse caminho.

Criação de objetivos

Em seguida, é preciso criar um plano de ação, em que você trace metas claras para o seu futuro profissional. Descubra o que você realmente quer fazer e entenda como pode chegar lá, criando uma lista de “tarefas” e estabelecendo prazos para cumprir os objetivos. 

Organização financeira

As finanças são um ponto importante na recolocação profissional, afinal, ter organização nessa área vai dar mais segurança para esse período de transição. Criar uma reserva financeira enquanto ainda trabalha é o melhor a fazer, assim, em uma situação de desemprego você pode buscar oportunidades com mais calma e estratégia.

Aquisição de novos conhecimentos

Se atualizar e adquirir novos conhecimentos é fundamental para ganhar um novo espaço no mercado. As empresas buscam profissionais que busquem o desenvolvimento constante, por isso, é preciso fugir da estagnação. Descubra cursos, treinamentos e técnicas requisitadas na sua área de atuação. Aprenda o que você ainda não sabe e aprimore aquilo que você já conhece.

Busca de oportunidades

A última etapa consiste em ir atrás das oportunidades de emprego. Com um currículo atualizado em mãos, você pode buscar vagas em sites de empresas, sites especializados e até mesmo contar com serviços profissionais de recolocação. Em sua procura, o melhor é ter foco em funções específicas em vez de “atirar para todos os lados” e acabar em um emprego insatisfatório.

Quais as melhores dicas de recolocação profissional?

As etapas de recolocação profissional podem ser desafiadoras, mas, contando com as dicas certas, esse caminho será trilhado por você de forma muito mais leve. Separamos algumas atitudes que podem levar você para mais perto de um lugar ao sol no mercado de trabalho. Veja abaixo.

Certeza sobre a decisão

Se você está cogitando um desligamento voluntário da sua empresa atual — seja para ir para outra organização ou para outro segmento profissional — é importante refletir bastante antes de tomar essa decisão.

Ter certeza sobre essa ação vai dar mais segurança para você encarar os desafios de buscar a recolocação no mercado e, no final, a sensação de que tudo valeu a pena será inevitável.

Calma durante o processo

A recolocação é um processo que exige paciência, afinal, sabemos que o mercado de trabalho está bastante competitivo, o que pode prolongar sua procura pela oportunidade ideal.

Manter a calma é o melhor a fazer nesse período. Do contrário, você pode acabar aceitando propostas não tão vantajosas ou fora da sua área de atuação. Para conseguir ter essa tranquilidade, a reserva financeira é uma grande aliada, por isso sua importância.

Atualização do currículo

O currículo é seu cartão de visitas no meio profissional. Assim como um cartão não pode ter um número de contato que não existe, seu currículo não pode conter informações que não sejam recentes e verdadeiras sobre você.

Mantenha esse documento constantemente atualizado nas plataformas e na versão digital, garantindo que seus cursos e experiências mais recentes sejam vistos pelos recrutadores.

Busque dicas sobre a montagem de currículos atrativos aos profissionais de Recursos Humanos (RH) e aprenda como dispor suas informações de forma relevante para a leitura de quem está escolhendo candidatos.

Networking

Manter uma rede de contatos ao longo dos anos é essencial para qualquer profissional. Na hora da recolocação, essa rede é ativada e pode gerar as oportunidades que você procurava.

Se você ainda não tinha o hábito de fazer networking, nunca é tarde para começar. Feiras de negócios, congressos da área e cursos são excelentes ambientes para conhecer profissionais do mesmo segmento que o seu, criando laços valiosos que podem proporcionar conhecimento para a sua carreira.

Uso das redes sociais

Ainda falando de rede de contatos, plataformas como o LindedIn e o Facebook são extremamente estratégicas para profissionais. Por meio delas é possível se conectar não só com outros profissionais, mas com empresas, recrutadores e headhunters que estão à procura de talentos.

A participação nas redes sociais precisa ser uma ferramenta de marketing pessoal. A pessoa deve mostrar — de forma sutil — suas habilidades e competências e sua disposição em encarar novos desafios no âmbito profissional.

Reciclagem dos conhecimentos

Quem está em um período de transição profissional precisa aproveitar esse tempo para se especializar ainda mais, aprendendo técnicas, desenvolvendo competências e descobrindo lacunas de mercado que podem ser preenchidas.

Existem diversas maneiras de reciclar ou aprender conhecimentos. Fazer uma pós-graduação é um dos caminhos mais tradicionais e pode agregar muito valor ao currículo.

Para algumas áreas, cursos que ensinam normas ou técnicas específicas podem fazer a diferença na hora de uma seleção. Desenvolver ou aprender novos idiomas — principalmente o inglês — também tem se tornado fundamental para se destacar.

Busca por ajuda especializada

Outra dica é a busca de ajuda especializada para a recolocação profissional. Atualmente, empresas trabalham para auxiliar candidatos nesse processo, orientando em relação ao mercado, à elaboração de um currículo atrativo e até indicando vagas apropriadas para o perfil de cada indivíduo.

Que competências são necessárias no processo?

Será que existem qualidades específicas que uma pessoa deve buscar para alcançar o sucesso no processo de recolocação profissional? Podemos dizer que sim! Algumas competências comportamentais podem impulsionar você nesse percurso e facilitar a conquista de uma nova vaga.

Resiliência

A capacidade de se adaptar frente a problemas e superar os obstáculos que surgem pelo caminho tem o nome de resiliência. E com certeza essa qualidade pode levar você mais longe na sua busca por um recomeço profissional, evitando que se desgaste e desanime.

Proatividade

Conseguir se antecipar a situações e ter uma postura proativa frente a oportunidades também é uma competência importante tanto na hora de buscar emprego quanto na atuação profissional. Essa característica tem sido valorizada por recrutadores, porque pessoas proativas costumam “fazer acontecer” e se auto gerenciam.

Relacionamento interpessoal

Ter facilidade em se comunicar com as pessoas e nutrir um bom relacionamento interpessoal é fundamental, principalmente para trabalhar o networking. Afinal, pessoas isoladas dificilmente serão lembradas quando uma boa oportunidade surgir.

Quais erros você não pode cometer na recolocação?

Quer maximizar suas chances de recolocação profissional? Então, além de seguir nossas dicas do que fazer, é preciso observar algumas ações que você precisa evitar a todo o custo nesse processo. Veja quais são elas.

Mandar currículos de forma equivocada

Existem vários erros no envio de currículos que você precisa evitar se quiser passar uma boa impressão aos recrutadores. Enviar o mesmo currículo diversas vezes para a mesma empresa, achando que por isso vai ser recrutado em algum momento, é um grande equívoco. Não é pelo cansaço que você vai convencer um profissional de RH.

Outro problema é enviar currículos sem nenhum tipo de critério, para todas as corporações e vagas que aparecem. Várias situações negativas podem resultar daí:

  • você pode não ter real interesse na vaga e acabar manchando sua imagem com o recrutador;
  • você pode acabar esquecendo que enviou o currículo e cometer alguma gafe;
  • se você não preencher os requisitos da vaga, vai ter queimado uma chance com a empresa.

O melhor a fazer é escolher quais organizações e cargos mais interessam e focar nessas oportunidades, trabalhando seu marketing pessoal e estudando o perfil dessas corporações.

Não usar o tempo livre para o autodesenvolvimento

O período que alguém passa entre a saída de um emprego e o ingresso em outro não pode ser desperdiçado. É necessário usar esse tempo para se desenvolver como pessoa e como profissional.

Existem diversos cursos presenciais e online que são gratuitos e estão prontos para ajudar profissionais a aprimorarem e aprenderem novas habilidades. Além de agregar experiência, esses cursos ainda aumentam o valor do seu currículo. 

Achar que competências socioemocionais são desnecessárias

Muita gente pode achar que as chamadas “soft-skills” não são assim tão importantes para conseguir um bom emprego, mas isso é um engano. As empresas consideram competências socioemocionais como fatores fundamentais para a decisão de contratar ou não um candidato.

Por isso, busque desenvolver habilidades como criatividade, liderança, comunicação eficaz, empatia, trabalho em equipe e proatividade.

Não se preparar para a entrevista

Ir para uma entrevista sem se preparar é outro equívoco na recolocação que pode fazer você perder uma vaga de emprego.

Muitos profissionais acham que “se garantem” e não estudam sobre a cultura e as políticas da empresa ou mesmo sobre o cargo que pleiteiam. Para evitar não ter as respostas na ponta da língua, revise também o seu currículo e tenha em mente os objetivos e qualidades que você pode apresentar aos recrutadores.

Chegamos ao fim do nosso guia completo sobre recolocação profissional. Viu como esse processo pode ser facilitado se você entender os caminhos que podem levar você mais rápido a uma vaga de emprego? Se planeje, prepare sua estratégia, vá atrás de conhecimento e não tenha medo de concorrer às melhores oportunidades do mercado.

Temos outros conteúdos sobre mercado de trabalho para compartilhar com você! Curta nossa página no Facebook e acompanhe nossas novidades.

Você também pode gostar

Deixe um comentário